Pé de gesso???

Essa eu acho que poucos sabem, heim! E se você é brasileiro e está a viver em Portugal há pouco tempo, com certeza já foi vítima de brincadeiras do tipo:

“Olha aquele com pé de gesso”
ou
“Coitado, partiu os pés”
Se não o fizeram na sua frente, saiba que estão a caçoar nas tuas costas… rsrs
A meia branca, ao contrário do Brasil, é abominada aqui em Portugal. Acredito que no Rio de Janeiro principalmente, devido ao calor, torna difícil o uso de meias pretas ou com um tom acima do cinza claro.
Mas aqui a banda toca diferente…
A explicação que os portugueses me deram é que usar meias brancas é uma característica do estilo “bimbo” de ser. Opa! Vamos aprender mais um termo lusitano??
O termo bimbo significa «provinciano, rústico, ingénuo; indivíduo parvo, tolo» e em gíria militar significa «recruta que vem do interior do país» (cf. Dicionário Houaiss). Ou seja, pode-se afirmar que bimbo sempre teve uma conotação pejorativa.
Basicamente, todos aqueles que usam meias brancas são péssimos em moda.
É uma unanimidade por aqui: As meias brancas são feias.
Não se usam meias brancas; todas os portugueses sabem disso e pronto!
Anúncios

Calendário escolar 2018-2019

Essa semana (finalmente) começou o ano letivo da marioria das escolas de Portugal. Se você é pai, me dá mão e me abraça! É muita emoção, não é?

Enquanto me recupero do trauma de 3 meses de férias escolares, vou tentando me organizar com os novos horários.

No nosso caso, temos uma míuda a mudar de escola e a outra a mudar de turno. É uma ginástica no horário visto que temos que conjugar terapias, atividades extra-curriculares e o nosso horário de trabalho. Não é fácil! Espreme daqui, aperta dali… no fim, o elefante há de caber no fusquinha!

A parte boa é que já temos o calendário em mãos e podemos programar as futuras viagens! Iupiiii!!!!

1o periodo – De 12 de Setembro a 14 de Dezembro

2o período – De 03 de Janeiro a 05 de Abril

3o período – De 23 de Abril a 21 de Junho

Interrupções letivas:

Natal – De 17 de Dezembro a 02 de Janeiro

Carnaval – 04, 05 e 06 de Março

Páscoa – De 8 de Abril a 22 de Abril

 

E que venham as aulas!

E que sobretudo, que os miúdos sejam muito felizes nessa nova empreitada.

Bacalhôa Buddha Eden

Esse é um dos passeios que eu sempre indico para quem vem a Portugal e já conhece os principais pontos turísticos.

Se tens um dia livre, não deixe de visitar o maior jardim oriental da Europa, o Bacalhôa Buddha Eden, na Quinta dos Loridos em Bombarral.

Com cerca de 35 hectares, o jardim foi criado em protesto contra a destruição dos Budas Gigantes de Bamyan, naquele que foi um dos maiores actos de barbárie cultural, apagando da memória obras-primas do período tardio da Arte de Gandhara.

A estimativa é que foram usadas mais de 6 mil toneladas de mármore e granito na construçao de budas, pagodes, estátuas de terracota e várias esculturas cuidadosamente colocadas entre a vegetação.

Os Buddha dourados dão as boas-vindas aos visitantes a partir do alto da escadaria central do jardim principal.

No lago central é possível observar os peixes KOI, e dragões esculpidos que se erguem da água. Terá ainda a oportunidade de observar os cerca de 600 soldados de terracota pintados à mão, cada um deles único, encontrando-se alguns enterrados, tal como há 2.200 anos.

O jardim de Escultura Moderna e Contemporânea é um espaço tranquilo para apreciar arte moderna. Algumas peças selecionadas da Coleção Berardo encontram-se espalhadas pelo jardim. Esta galeria em espaço aberto possui obras que são regularmente substituídas, proporcionando ao visitante experiências novas e interessantesa cada visita.

O jardim de arte de Esculturas Africanas é dedicado ao povo Shona do Zimbabué, que há mais de mil anos esculpe pedra à mão transformando-a em obras de arte. O povo Shona acredita em espíritos ancestrais conhecidos como “Vadzimu”. As suas esculturas demonstram a união entre estes dois mundos, o físico e o espiritual. Estes incríveis escultores de pedra mantêm a crença de que cada pedra tem um espírito vivo, que influencia aquilo em que ela se virá a tornar. O trabalho do artista é “libertar o espírito da pedra”. Existem mais de 200 esculturas dispostas sob a sombra de 1000 palmeiras.

O Jardim, a loja e o restaurante estão abertos todos os dias , com exceção do dia 1 de Janeiro e 25 de Dezembro.

O horário de funcionamento é de 09.00 às 18.00, sendo que o portão de entrada e o restaurante fecha às 17:30.

O ingresso custa 5€ e o comboio, pago a parte, custa 4€. Crianças até 12 anos, não pagam.

Eu fiquei muito impressionada com a beleza desse lugar. Vale a pena conhecer!

mapa-loridos-final10-co_pia

Ônibus Hop-on Hop-off

As principais cidades turísticas pelo mundo afora contam com esse Serviço e eu super recomendo. É uma maneira muito conveniente de passear pelos principais pontos turísticos daquele local.

Há três empresas de ônibus hop-on hop-off em Lisboa:

  • Yellow Bus Official Sightseeing Tours – Carristur (da Carris, empresa de transporte público de Lisboa)
  • Lisbon Sightseeing – Gray Line (operada pela Cityrama)

  • City Sightseeing (operada pela  Douroacima)

O Carristur opera com ônibus amarelos, enquanto a Gray Line e a City Sightseeing utilizam ônibus vermelhos. Como a Carristur é propriedade da empresa de transporte público de Lisboa (Carris), tem o seu hub principal no centro da Baixa na Praça da Figueira. As outras duas empresas têm o seu hub na Praça Marquês de Pombal, a pouca distância do centro de Lisboa.

Todas as três empresas de ônibus hop-on hop-off têm duas rotas básicas e uma série de upsells e addons adicionais. No centro das rotas de cada empresa, haverá uma rota que vai do centro de Lisboa para oeste até Belém e uma rota secundária que cobre as zonas leste e norte de Lisboa.

A empresa amarela de ônibus oferece duas rotas de ônibus, um bilhete de rota única custa € 15,00 e o bilhete é válido por 24 horas, enquanto o preço para ambas as rotas é de € 24,00. A principal vantagem dos passeios de ônibus amarelos é que seus ingressos permitem viagens ilimitadas em todos os ônibus padrão, bondes e incluem o Elevador de Santa Justa. Os passeios da Carris têm mais ônibus operando suas rotas e passam mais tempo na noite, mas o comentário deles é o mais fraco.

City Sightseeing opera os ônibus vermelhos e suas duas rotas são quase idênticas às da Yellow Bus Company. O bilhete City Sightseeing de 24 horas para ambas as rotas tem um valor melhor a € 18,00, mas eles têm menos ônibus do que Carris, o que significa que as esperas de ônibus são mais longas.

A terceira empresa são os ônibus de turismo da Grayline, que operam novamente os ônibus vermelhos, a passagem que eles oferecem é ligeiramente diferente e dura 48 horas, mas custa 20 euros. A Grayline oferece 3 rotas e é provavelmente a melhor opção para turistas com mais tempo, mas a turnê da Grayline tem menos serviços que a Carris.

Primeira vez em Lisboa?

Tem poucos dias pra ter um apanhado geral dos principais pontos turisticos de Lisboa?

Eu recomendo! Dêem uma volta completa em cada uma das linhas e depois com calma, se tiverem mais tempo, voltem para ver o que mais interessar.

Que tal?

Por quê alfacinhas?

Por quê afinal de contas os lisboetas são chamados de alfacinhas?

São várias as teorias e todas elas muito diferentes mas igualmente interessantes.

Acredita-se que durante o domínio muçulmano, entre 711 e 714,  começou-se a plantar alfaces pelas colinas de Lisboa. Na época, a planta era chamada de Al-Hassa, que acabou se transformando em Alface na lingua portuguesa.

Outra hipótese levantada deve-se ao fato da alface, que tinha fins culinários e medicinais, ter sido o único alimento que restou aos lisboetas durante um dos muitos cercos que a cidade sofreu.

Outra origem do termo, deve-se ao fato de que uma tribo do Sahara, os saharauii, se instalaram nos arredores de Lisboa e Sintra, e daí terá derivado o termo saloio, designando quem estava fora de portas da cidade e ao mesmo tempo abastecia a cidade com produtos hortícolas, como a alface. Foram os saloios quem supostamente batizaram os lisboetas de alfacinhas, por estes se passearem pelos limites da cidade com laços farfalhudos da moda, no peito das camisas. Esses laços lembarvam aos saloios as alfaces.

Outra das teorias conta que, durante o cerco a Lisboa, os lisboetas eram alimentados sobretudo por alfaces trazidas nas suas carroças pelos saloios do vale de Loures. As sopeiras, meninas da província que serviam os mais abastados, gritavam: “Chegaram as alfacinhas!”, popularizando o termo entre entre os saloios de Loures, que rapidamente começaram a tratar os Lisboetas por Alfacinhas.

Eu acho todas as hipóteses muito divertidas! E adoro o termo, não sendo pra mim de forma alguma pejorativo.

Adoro ser uma alfacinha! hehehe

alfacelisa1_143406595_1024x1024

10 anos do Parque das Nações

O Parque das Nações é o bairro mais moderno e homogêneo de Lisboa; foi construído para a Expo 98 reabilitando uma área ocupada por infra-estruturas industriais e portuárias diversas muito pouco convidativas. É hoje um espaço que vale muito a pena conhecer e usufruir.

Esse ano, o bairro, que agrega parte da antiga freguesia de Santa Maria dos Olivais, do concelho de Lisboa, com parte das freguesias de Moscavide e Sacavém, ambas do concelho de Loures, completa 10 anos.

E para assoprar as 10 velhinhas, vejam 10 fatos curiosos em números sobre o bairro mais moderno de Lisboa:

1 – O Parque das Nações tem uma área total de 340 hectares

2 – A zona ribeirinha, frente ao rio Tejo, estende-se ao longo de cinco quilómetros

3 – Um terço do Parque das Nações está reservado a espaços verdes, com uma área superior à de 110 relvados de futebol

4 – Pelo teleférico já passaram um total de 7.533.156 passageiros

5 – Desde 1998, o Pavilhão Atlântico recebeu mais de 4,8 milhões de espectadores, tendo sido palco de 790 eventos

6 – Com sete milhões de litros de água e oito mil animais, o Oceanário continua a ser o ‘ex-libris’ do Parque da Nações

7 – Nos últimos dez anos o Oceanário recebeu cerca de 12 milhões de visitantes

8 – Segundo a Associação Comercial de Lisboa existem cerca de 300 empresas no Parque das Nações

9 – No total são mais de 22.500 os postos de trabalho existentes

10 – A área residencial do Parque das Nações tem entre 16 a 18 mil habitantes

E não podemos deixar de mencionar as 10 principais atrações ou pontos turísticos que valem a pena ser apreciados:

1. Ocenário – Foi considerado, pela terceira vez, o “Melhor Aquário do Mundo”. A atribuição foi feita pelo Travelers’ Choice 2018, do TripAdvisor, o maior site de viagens em todo o mundo.

2. Ponte Vasco da Gama – É um símbolo da engenharia Portuguesa: É a maior ponte da Europa e uma das maiores do mundo. Existe desde 1998 e liga Lisboa à margem sul.

3. Torre Vasco da Gama – É arranha-céus mais alto de Lisboa, com 140 metros. Apresenta um perfil de vela enfunada, evocando os inúmero navios portugueses que saíram do Tejo para descobrir o mundo.

4. Estaçao do Oriente – Foi projetada como gare intermodal de apoio à Expo’98 mas também com o objetivo de se tornar o principal interface de transportes da cidade, integrando metro, comboio, terminal rodoviário e parqueamento. O seu autor é o conceituado arquiteto e engenheiro espanhol Santiago Calatrava.

5. Pavilhao de Portugal – Pretende representar uma folha de papel pousada em dois tijolos. A enorme pala em betão pré-esforçado, que pesa 1400 toneladas, é considerada uma obra prima de engenharia, que ganhou um prémio internacional

6. Altice Arena – Espaço destinado a atrações públicas e festivais, com uma capacidade de 20 000 espectadores, é o maior pavilhão de espetáculos de Portugal.

7. Casino Lisboa – Um espaço moderno e cosmopolita onde a musica, a arte, o espetáculo e a gastronomia se juntam aos jogos de sorte

8. Arte Pública – A arte está na rua, nas praças, nos jardins, debaixo dos nossos pés. Vale a pena ver de perto as obras de arte urbana que talentosos artistas deixaram no Parque, transformando-o num museu a céu aberto.

9. Esplanadas – São vários os restaurantes, cafés e bares com esplanada espalhados pelo bairro. Uma delícia ficar ali sentado apreciando o movimento.

10. Centro Vasco da Gama – Centro comercial junto a estação do Oriente, com cerca de 170 lojas, 33 restaurantes, salas de cinema e health club.

É um bairro apaixonante, sem dúvida. Recomendável ao turista e uma delícia de lugar para se viver.

Os cariocas o mal comparam à Barra da Tijuca, visto que é um sítio um pouco mais afastado, com moradias mais novas e mais espaçoso. Eu diria que se assemelha sim, mas com a vantagem de se poder fazer tudo a pé.

Foi aqui que escolhemos pra morar e adoramos!

Você conhece o significado de todas as bandeiras das praias?

Nas praias vigiadas, as bandeiras içadas pelos nadadores-salvadores (salva-vidas) indicam o estado de segurança, perigos e proibições, com o intuito de informar e prevenir os banhistas.

Em Portugal, assim como no restante da Europa, a legenda é a seguinte:

  • Bandeira verde – Mar completamente calmo e condições de banho ideais.
  • Bandeira amarela – Mar pode causar alguns problemas, como ondas grandes, correntes perigosas ou fortes rajadas de vento. É preferível não entrar no mar.
  • Bandeira vermelha – Proibição do banho por algum motivo: condições meteorológicas, contaminação da água, presença de animais perigosos, etc.

E esse ano, as praias portuguesas ganharam uma nova bandeira:

  • Bandeira amarela e vermelha: indica onde é seguro tomar banho

Será entre essas bandeiras a zona segura para ir água. Os nadadores salvadores colocam essa indicação em zonas onde não há, por exemplo, agueiros. E podem mudar a localização durante o dia de acordo com as marés, por exemplo.

isnnn

Em algumas praias podemos também ver outras bandeiras menos comuns:

  • Bandeira xadrez preta e branca – O nadador-salvador não se encontra, de momento, na praia. É preciso cuidado reforçado no mar;
  • Bandeira preta – Praia fechada e/ou interdita devido ao estado do mar ou da areia;
  • Bandeira de medusas – Trata-se de uma bandeira branca com medusas como ícone. É usada para referir a presença de cnidários (medusas, águas-vivas, alforrecas, etc.) em zonas balneares.

Por último, a bandeira azul é um distintivo de qualidade que informa as melhores condições para ir à praia, tais como o estado da água, os serviços para pessoas com deficiência, os serviços públicos, etc.

  • Bandeira Azul – A praia é de boa qualidade, é apta para tomar banho de sol e mar, cumpre requisitos de segurança, sensibilização ambiental e oferece infraestruturas para os utentes.

Desde 1987 que a Fundação Europeia de Educação Alimentar distingue as melhores praias Europeias – em Portugal, este ano, são 320 as praias com Bandeira Azul. Que maravilha!

Conhecido todas essas legendas, tenho certeza que estás muito mais seguro para tomar um excelente banho de mar em segurança. Boa praia!